Dólar e índiceHome

Dólar dispara a R$4,48 e renova a máxima histórica intradia

Por Pablo Vinicius Souza
27 fevereiro 2020 - 12:29

O dólar comercial operava em expressiva alta nesta quinta-feira (27), acompanhando o mau humor que se abateu sobre os mercados internacionais.

Novamente, as preocupações com o coronavírus aumentaram o a aversão ao risco, pressionando os investidores a buscarem ativos mais líquidos e seguros.

O mesmo acontece com as principais divisas emergentes e atreladas às commodities, que registravam depreciação na paridade com a moeda dos EUA.

Depois de renovar a máxima histórica intradiária em R$4,5010, a divisa americana desacelerou, mantendo, porém, o viés de alta.

Embora o Banco Central tenha ofertado 20 mil contratos de swap cambial por meio de um leilão extraordinário, a ação não conseguiu conter o fortalecimento do dólar no mercado interno.

 A combinação entre fatores negativos internos e externos tem condicionado o real a apresentar um dos piores desempenhos dentre as 33 principais moedas mais líquidas.

Isso porque, os indicadores econômicos sinalizaram para uma recuperação lenta e gradual das atividades, ao passo que, a piora no ambiente internacional reduz a demanda por ativos de risco.

Ás 12h20 (horário de Brasília), o dólar comercial subia 1,04% contra o real, sendo cotado a R$4,4880 na venda.

Juros Futuros

Na renda fixa, os contratos de juros futuros mantinham comportamentos mistos, anotando leve recuo nas taxas de curto prazo e leve aumento de nas intermediárias e longas.

O DI janeiro/2021 caía 0,36% sendo negociado a 4,18% (4,19% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2026 saltava 1,08% sendo vendido a 6,53% (6,41% no ajuste anterior).


Sobre o autor