EconomiaHome

Dívida pública cresce 0,38% em julho, totalizando 3,993 trilhões, anuncia Tesouro Nacional

Por Eloiza Amaral
28 agosto 2019 - 12:08
Monitor do PIB recua 0,4% em fevereiro, diz FGV

A dúvida pública do Brasil em títulos teve aumento de 0,38% em julho, totalizando R$ 3,993 trilhões, segundo informou a Secretaria do Tesouro Nacional nesta quarta-feira (28). No mês anterior o valor foi de R$ 3,977 trilhões.

A dívida pública é emitida pelo Tesouro para financiar o déficit orçamentário do Governo Federal. Ou seja, para bancar despesas que ficam acima da arrecadação com impostos e tributos.

Segundo o Tesouro, o alta no mês pode ser explicada devido as despesas com juros, que somaram R$ 23,59 bilhões, uma vez que houve resgate líquido de títulos (retirada de papeis superou as emissões) no valor de R$ 8,38 bilhões.

Quando a dívida é paga em real é classificada como interna, e quando negociada em outra moeda, geralmente o dólar, classifica-se como externa. Tratando delas, a dívida interna teve alta de 0,52%, para R$3,846 trilhões, e a da dívida externa caiu 3,19% em julho, com R$ 146,85 bilhões.

Os dados ainda indicam que a participação de investidores estrangeiros na dívida pública brasileira caiu no mês. No período, os não residentes detinham 12,31% do total da dívida, o equivalente a R$ 473 bilhões, ante 12,34% do total da dívida em junho (R$ 472 bilhões).

Os fundos de previdência se tornaram os maiores detentores da dívida, representando 25,97% do total, com R$ 998 bilhões. Seguindo, temos os fundos de investimento (25,29%) e as instituições financeiras (22,72%), na lista de maiores detentores.


Sobre o autor