Economia

Demanda por crédito avança 2% em março e sinaliza recuperação

Por Fast Trade
19 abril 2021 - 06:31 | Atualizado em 19 abril 2021 - 07:33
Já ouviu falar em spread bancário? Veja o que é e como calcular

Após declinar 9% em fevereiro, a demanda por crédito no Brasil avançou 2% em março, segundo o Índice Neurotech de Demanda por Crédito (INDC).

Na comparação anual, houve um aumento de 38% nos financiamentos, superando o mesmo período do ano passado, no qual, o setor registrou um crescimento de 21%. Assim, o resultado sinaliza uma recuperação da atividade local, apesar do momento de crise devido à pandemia.

De acordo com o diretor de Produtos e Sucesso dos Clientes da Neurotech, Breno Costa, um dos motivos que justifica o aumento do indicador é a aplicação de medidas de restrição menos rígidas do que as de 2020.

Além disso, o executivo destacou que o mercado está mais preparado para retomar as operações, depois de passar pelas turbulências do início da pandemia.

Guia de A a Z de como se tornar um trader!

“Muitas redes passaram a usar mais tecnologia e a realizar a concessão de crédito de forma online” – explicou Costa.

Acima de tudo, a aceleração da procura por crédito foi impulsionada pelo segmento de bancos e financeiras, que registraram um salto de 4% no período. Na sequência, veio o setor de varejo, contabilizando aumento de 2%.

Em contrapartida, o único setor a anotar recuo em março foi o de serviços, que obteve uma contração de 19%, até pela própria dinâmica operacional, que absorveu intensamente os impactos das medidas de restrição, como lockdown e quarentenas.

Ao mesmo tempo, o executivo analisou que o temperamento cíclico do setor, de forte crescimento e forte declínio, pode estar relacionado a uma acomodação da recuperação iniciada meados do ano passado.

Fatores que contribuíram para a alta do INDC

A alta do INDC ainda foi influenciada pelo aumento dos financiamentos concedidos para a compra de imóveis e de eletrônicos, que registraram expansão de 52% e 83%, respectivamente.

Em contrapartida, a demanda por crédito em supermercados caiu 25% ao longo do mês de março, mas avançou 46% na variação interanual.

Guia do Investidor Iniciante

“O movimento pode estar relacionado à tendência de o brasileiro investir mais no lar. Com o advento da pandemia, muitos estão buscando reformar a sua casa e mobiliário e eletrônicos, que aumentem seu conforto” – enfatizou o executivo.

Quando comparado ao mesmo mês de 2020, o setor de serviços lidera esse aumento com 99%, seguido dos bancos (+30%) e do varejo (+58%).

Quer ficar informado de todas as novidades do mercado financeiro? Então participe do Canal do Fast Trade no Telegram acessando o link: https://t.me/plataformafasttrade

Demanda por crédito avança 2% em março e sinaliza recuperação

Leia também:

Orçamento, CPI, temporada de balanços e feriado: Fatos de repercussão na semana

Lucro dos bancos deve aumentar 34% no 1º tri – diz Goldman Sachs


Sobre o autor