Mercados

CSN Cimentos e InterCement aceleram listagem na Bolsa

Por Fast Trade
07 maio 2021 - 16:33 | Atualizado em 07 maio 2021 - 18:12
oferta inicial de ações

A CSN Cimentos e a InterCement avançaram com os processos de listagem para inaugurar a presença da indústria cimenteira na Bolsa de valores.

Com o início da recuperação do setor em 2019 e a explosão de vendas em 2020, as maiores representantes do segmento estão correndo para concretizar a abertura de capital.

De um lado, está a controlada da Mover Participações (ex-Camargo Corrêa), a InterCement, que está adiantada com os trâmites da IPO. E de outro, está a CSN Cimentos, um dos braços da Companhia Siderúrgica Nacional, que promete causar o mesmo alvoroço que a CSN Mineração.

Há cerca de oito anos atrás, a Votorantim Cimentos chegou perto da efetuar a operação, mas perdeu a janela de oportunidade devido à desistência dos investidores.

Guia Completo de como ter sucesso no Day Trade

Com a entrada de grupos estrangeiros no país, o aumento da concorrência acelerou a consolidação do setor, que vem acontecendo desde 2016. No entanto, há um movimento de saída de diversas marcas, favorecendo um reposicionamento das grandes nacionais no mercado interno.

Nesse sentido, quando a irlandesa CRH decidiu sair do Brasil, vendeu seus ativos para a italiana Buzzi em parceria com a Brennand. Da mesma forma, há cerca de duas semanas, a franco-suíça LafargeHocim anunciou a venda de suas operações no país (10 fábricas no valor de US$1 bilhão).

Com isso, haverá espaço para os grupos empresariais locais expandirem a atuação, como a CSN, que já até fez uma proposta formal.

Planos de CSN para assumir a vanguarda do setor

O principal acionista e presidente da companhia, Benjamin Steinbruch, disse que o sucesso da IPO da CSN Mineração deixou um “gostinho de quero mais”.

Os processos estão em fase de conclusão e a direção da CSN Cimentos já está em fase de escolha das instituições financeiras que vão coordenar a oferta. De acordo com o Valor, o BTG Pactual e o Citi estão em negociação com a empresa, que deve levantar entre R$2 e R$3 bilhões.

Acima de tudo, Steinbruch tem planos ambiciosos para o seu negócio, visando chegar a terceiro no ranking nacional, acreditando na expansão orgânica das atividades.

Guia de A a Z de como se tornar um trader!

Da mesma forma, ele planeja prosseguir com a estratégia de aquisições, sobretudo da LafargeHolcim, para ampliar o seu potencial produtivo e sua capilaridade.

Quer ficar informado de todas as novidades do mercado financeiro? Então participe do Canal do Fast Trade no Telegram acessando o link: https://t.me/plataformafasttrade

CSN Cimentos e InterCement aceleram processos de listagem na Bolsa

Leia também:

Lucro da Neoenergia (NEOE3) dispara 75% e chega a R$1 bilhão no 1º trimestre

Banco do Brasil (BBAS3) lucra R$4,9 bilhões no primeiro trimestre (+44,7% A/A)

Azul (AZUL4) amarga prejuízo líquido de R$2,6 bilhões no primeiro trimestre


Sobre o autor