Ações

Cosan reporta lucro ajustado de R$ 236,1 milhões no 1T22; ação mostra oportunidade

Por Fast Trade
16 maio 2022 - 15:29 | Atualizado em 16 maio 2022 - 16:17
Cosan (CSAN3)

O Grupo Cosan (CSAN3) reportou um lucro líquido ajustado de R$ 236,1 milhões no primeiro trimestre de 2022, em uma queda de 69,1%. Ao mesmo tempo, o lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado foi R$ 2,7 bilhões, superando em 4,8% o valor registrado em igual intervalo de 2021.

De janeiro a março, contudo, a receita operacional líquida pró-forma somou R$ 34,7 bilhões, o que representa um aumento de 54,2% na variação anual.

+ Análise gráfica: saiba como utilizar em suas operações!

“O melhor desempenho operacional da Rumo, impulsionado pela expansão dos volumes transportados, e da Compass, sustentado pela contínua evolução da Comgás e pelo início da consolidação da Sulgás, compensaram a menor concentração de vendas de Renováveis e Açúcar no trimestre que encerra a safra 2021/22 para a Raízen” – explicou o relatório.

Em contrapartida, o consumo de caixa para os acionistas foi de R$ 1,9 bilhão no período, conseguindo melhorar cerca de 50% em relação a igual intervalo do ano passado. Assim, os níveis de alavancagem, mensurados pela dívida líquida dividido pelo Ebitda, caíram para 2 vezes.

1T22 Cosan: Projeções do UBS BB e Credit Suisse

O UBS BB avaliou os resultados da Cosan como positivos, vindo em linha com as estimativas realizadas em termos de desempenho. Segundo os analistas Luiz Carvalho, Matheus Enfeldt e Tasso Vasconcellos, as ações do Grupo refletem as perspectivas de retorno no longo prazo.

No entanto, o banco prevê que as operações podem surpreender nos próximos meses, embora as estimativas para a Compass e Raízen tenham passado por revisão. Mesmo assim, a recomendação do UBS ainda é de “compra” para os papéis CSAN3, com preço-alvo de R$ 32.

+ Ebook: O que ninguém te conta sobre os investimentos em ações!

Para o Credit Suisse, o Ebitda veio abaixo do previsto devido à fraqueza nos resultados da Raízen, que sentiu a alta nos custos do segmento de açúcar e renováveis. Apesar disso, os demais braços operacionais mostraram números dentro do previsto.

Segundo os analistas, a Moove superou em 10% as estimativas, apresentando volumes mais fortes e margens mais robustas. Por isso, o banco suíço tem recomendação de “compra” para os papéis da Cosan, com preço-alvo de R$ 29.

Quer ficar informado de todas as novidades sobre o mercado financeiro? Então assine a newsletter Fast Break e receba as notícias mais relevantes do momento!

 

Leia também:

Bolsa e dólar avançam com recuperação das commodities e sinal da China

Lucro ajustado da Raízen declina 48% no 4º tri do ano-safra para R$ 209,7 milhões

1T22: Cyrela reporta lucro líquido com queda 15,9%; analistas recomendam as ações


Sobre o autor