EconomiaHome

Copom se reúne pela última vez em 2019 e mercado projeta nova redução da Selic

Por Bruna Santos
09 dezembro 2019 - 12:03
Foto: Arquivo Istoé

No que pode ser chamado de a “última super quarta-feira do ano”, o mercado projeta nova redução da Selic no encontro do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central.

O BC se reúne entre amanhã (10) e quarta-feira (11); de acordo com analistas do mercado financeiro, a taxa básica de juros da economia (Selic), atualmente em 5% ao ano, pode findar o ano a 4,5%, após a reunião.

Desde julho, o Copom iniciou uma sequência de cortes; a Selic, também conhecida como o principal instrumento do Banco Central para alcançar a meta de inflação definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), passou para 6% ao ano no período.

Posteriormente, em setembro, a taxa foi reduzida em 0,5 ponto percentual em setembro e, novamente, em outubro.

É provável que em 2020 a redução da Selic seja ainda mais acentuada, com potencial de chegar a 4,25% ao ano em fevereiro, segundo a última pesquisa do Banco Central.

Conforme os dados da pesquisa, esse patamar pode ser mantido nas reuniões seguintes e subir, para 4,5% a.a, em dezembro.

Para este ano, a meta de inflação definida pelo CMN é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%.

Assim sendo, o mercado financeiro especula que a inflação calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) pode ficar abaixo do centro da meta, em 3,52%, neste ano.

Semelhantemente, a previsão para o ano que vem também está abaixo da meta (4%), em 3,60%.

Com a redução dos juros básicos, a tendência é que os custos do crédito caiam, incentivando a produção e consumo.


Sobre o autor