Economia

Contas públicas registram rombo recorde em 2020 com cenário adverso provocado pela covid

Por Fast Trade
28 janeiro 2021 - 17:00 | Atualizado em 28 janeiro 2021 - 18:47
Risco Fiscal

As contas públicas fecharam o ano de 2020 com um rombo  de R$ 743,087 bilhões, de acordo com o Tesouro Nacional. O resultado negativo do governo central é o pior da história e responde por 10% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil.

Além disso, o déficit primário das contas do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central foi de R$ 44,113 bilhões em dezembro.

Nesse sentido, o conjunto de medidas tomadas pelo governo federal para enfrentar a pandemia do novo coronavírus acelerou a diferença dos resultados anuais.

Só para ilustrar a disparidade, as contas públicas haviam negativado em R$ 14,637 bilhões no mês de dezembro de 2019. Como resultado, o déficit consolidado do ano chegou a R$ 95,065 bilhões.

+ Calendário do Trader 2021: Fique por dentro dos vencimentos futuros (Índice e Dólar) e feriados que influenciam o dia a dia e o decorrer das negociações realizados na B3.

Por outro lado, a pandemia elevou as despesas do governo federal em 31% no ano passado.

Desse modo, os gastos com as medidas para combater os impactos do novo coronavírus totalizaram R$ 520,9 bilhões. Entre todas as medidas, destaca-se o auxílio emergencial, que somou R$ 293 bilhões no período.

+ Guia de A a Z de como se tornar um trader: baixe gratuitamente!

No Twitter, a conta oficial do Tesouro Nacional relacionou a “queda das receitas e o aumento das despesas explicam os resultados primários negativos registrados em todos os meses desde que foi decretada a #pandemia, em março do ano passado”.

Mais detalhes do rombo recorde das contas públicas

Conforme divulgado pelo Tesouro Nacional, o déficit de dezembro reflete o resultado negativo de R$ 48,802 bilhões do próprio Tesouro. Em contrapartida, a Previdência Social reportou um superávit de R$ 4,584 bilhões, assim como o Banco Central (R$ 105 milhões).

+ Derivativos – O guia definitivo para começar a investir: confira!

A princípio, a meta fiscal previa um rombo de R$ 124,1 bilhões para 2020, mas foi suspensa a partir do decreto do estado de calamidade pública, estabelecido em decorrência da pandemia de covid-19.

Por fim, acompanhe o detalhamento dos dados fiscais que aconteceu ao vivo:

 

Antes de mais nada, leia também:


Sobre o autor