Mercados

Como o mercado se posiciona para a abertura nesta terça-feira, 14 de setembro

Por TradersClub
14 setembro 2021 - 10:09 | Atualizado em 14 setembro 2021 - 10:09
abertura nesta terça-feira 14 de setembro

São Paulo, 14 de setembro – Confira a abertura nesta terça-feira, 14 de setembro: mercados globais iniciam o dia cautelosos com investidores à espera dos dados de inflação ao consumidor nos Estados Unidos e monitorando os desdobramentos da escalada no preço do petróleo.

LEIA: Confira 6 empresas listadas na B3 e como acompanhar o desempenho delas

O indicador de inflação ao consumidor nos Estados Unidos em agosto, CPI, será divulgado às 9h30 e pode estressar o mercado com uma alta maior do que a de 0,4%, prevista no consenso Mover. Esse resultado aumentaria a percepção de necessidade de retirada mais rápida dos estímulos através do tapering. Em Wall Street, investidores ainda estarão de olho nos papéis da Apple, que avançavam no pré-mercado, em dia de lançamento do novo iPhone.

O petróleo Brent avançava pelo terceiro dia seguido, rondando os US$74 dólares por barril, na esteira de uma projeção menor de produção para o ano por acontecimentos adversos, como furacões em Louisiana e no Texas. Por aqui, o presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, será questionado, em audiência às 9h00, sobre a escala do preço do combustível na estatal.

As ADRs da Petrobras perdiam 1,16% no pré-mercado em Nova York. “Políticos colocando o dedo na Petrobras sempre vai trazer suspeita de intervenção, mas se a discussão de uma solução via fundo de estabilização de preços ganhar força no plenário, poderá haver um saldo positivo” disse um analista sediado na Faria Lima esta manhã.

O minério de ferro fechou a sua quinta queda consecutiva em bolsas de futuros localizadas em portos na China, de olho na crise do mercado imobiliário que derrubou 12% os papéis da maior incorporadora do país, e à espera de dados de produção industrial mais adiante nesta semana.

Bolsa: O índice Bovespa futuro poderá seguir a cautela flagrada em outros emergentes e sofrer com a continuidade da queda nas commodities metálicas. Expectativa de abertura em queda, de olho na Câmara discutindo preços da Petrobras.

Dólar: A maioria das moedas pelo mundo se desvaloriza em relação ao dólar americano, com os dados de inflação ao consumidor podendo alterar essa tendência. A leitura do volume de serviços no Brasil também pode mexer com percepções de riscos inflacionários e com a abertura do câmbio. O dólar futuro poderá abrir em queda.

LEIA: O que são as Blue Chips e qual é o seu papel dentro do mercado de ações?

Juros: A curva do DI deve reagir ao dado dos serviços no Brasil, ao tom das discussões na Câmara e ao comportamento do câmbio e dos ativos de risco após os dados do CPI americano.

Abertura nesta terça-feira 14 de setembro


Sobre o autor