HomeMercados

Comissão especial; Bolsonaro intervém em marketing do BB; resultados e mais

Por Pablo Vinicius Souza
26 abril 2019 - 10:24
Estados e municípios, governo Bolsonaro

O trabalho dedicado à reforma da Previdência tem surtido efeitos positivos no Ibovespa.

Ficou claro ao mercado os esforços para que a pauta vá ao plenário da Câmara ainda no primeiro semestre.

Com base nos movimentos pró reforma, o Ibovespa recuperou a faixa dos 96 mil pontos e fechou no maior patamar em 11 pregões. Em 8 de abril, o índice havia ficado em 97.369 pontos.

O andamento em direção a aprovação da Nova Reforma pode deixar os investidores estrangeiros ainda mais empolgados para novas alocações, segundo o Valor Econômico.

De acordo com Will Landers, chefe de renda variável da BTG Asset Management, o estrangeiro espera uma sinalização de melhora na economia, através das reformas estruturais.

Para o gestor, a retomada de investimentos para níveis de 2014, antes da reeleição da presidente Dilma Roussef, já significaria uma entrada potencial de US$ 50 bilhões.

Conforme previsto, a Comissão Especial que debaterá a reforma da Previdência foi inaugurada ontem (25).

Marcelo Ramos ficará encarregado pela presidência da Comissão, enquanto Samuel Moreira assumirá a relatoria.

De acordo com o Estadão, a escolha feita para a relatoria desagradou a lideranças do Centrão.

Manual do Imposto de Renda para Investidores

Bolsas asiáticas fecham com desempenho misto; índices na Oceania renovam máximas

Os índices acionários asiáticos fecharam o último pregão da semana com desempenho misto, dentre perdas e ganhos.

O mercado acompanhou o fraco desempenho do índice acionário Dow Jones ontem em Nova York, que recuou 0,51%.

Ao mesmo tempo, investidores se preparam para acompanhar uma nova bateria de negociação entre Washington e Pequim.

O encontro será em solo chinês, a partir da próxima terça-feira (30).

No continente europeu, seus principais índices operam em leve baixa.

O resultado do balanço do Deutsche Bank ficou acima do esperado, mas ainda não repercute positivamente nas bolsas.

Os investidores seguem no aguardado por novidades corporativas, por meio de uma série de divulgação de resultados.

Na Oceania, a bolsa australiana voltou de mais um feriado e fechou a sessão em tom positivo.

De acordo com a Dow Jones Newswires, o índice renovou sua máxima em 11 anos e meio.

Saiba quais são os principais compromissos econômicos globais para esta sexta-feira

No último pregão da semana, o PIB dos Estados Unidos vira o centro das atenções no país.

Ainda pela manhã, a terra do Tio Sam divulgará o Índice de Preços do PCE, bem como o índice de sentimento do consumidor relacionado ao mês de abril.

Muito aguardado pelo mercado é a continuidade da divulgação de resultados corporativos.

Chevron e ExxonMobil divulgam seus balanços antes da abertura dos mercados.

Ao final do dia (no horário de Brasília), a China divulgará seu lucro industrial referente ao mês de março.

Nossa agenda doméstica conta com a divulgação do Índice Nacional de Custos da Construção a Sondagem da Construção e do Comércio, pela FGV.

Hoje, o Banco Central divulgará a variação do estoque de crédito, bem como o estoque de crédito do sistema financeiro.

Também no radar está a divulgação das taxas de inadimplência de pessoa física.

Ao final do dia, a Hypera Pharma publicará seu balanço financeiro relacionado ao primeiro trimestre do ano.

Novo cálculo do governo aponta uma economia de R$ 1,236 tri com reforma da Previdência

O governo tem se esforçado para dar continuidade ao avanço da Nova Reforma.

Ontem, o Ministério da Economia apresentou uma nova projeção da economia que será gerada em dez anos: R$ 1,236 trilhão.

Encaminhada ao Congresso, as informações enfim deixaram de ser restritas e foram publicadas após diversos pedidos e requerimentos.

Na apresentação dos números, Rodrigo Maia, o presidente da Câmara, deu a entender que uma nova projeção apresentada pelo governo destacava mais R$ 150 bilhões em economia.

Essa economia não substituiria o R$ 1,1 trilhão divulgado inicialmente, mas seria somado por meio da reforma previdenciária.

Rogério Marinho, secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, não quis comentar os números dados pelo presidente da Câmara.

De acordo com o documento, o impacto das mudanças no RGPS em dez anos é de R$ 807,9 bilhões.

No entanto, as alterações destinadas ao RPPS, gerará uma economia de R$ 224,5 bilhões – se tratando do mesmo período.

Enquanto isso, as medidas voltadas ao abono salarial sofrerão um impacto de R$ 169,4 bilhões.

Nas medidas que alteram o Benefício de Prestação Continuada (BPC)/Loas Idoso, no entanto, o impacto será de R$ 34,8 bilhões.

Bolsonaro compara sua união a Mourão como um casamento que vai até 2022, no mínimo 

Em meio a uma nova crise entre integrantes e apoiadores de seu governo, Bolsonaro admitiu cogitar a reeleição em 2022.

Na última quinta-feira (25), o presidente da República conversou com jornalistas no Palácio do Planalto e falou de suas intenções.

De acordo com o próprio, é possível que se reeleja para um segundo mandato, caso a norma não seja revogada.

O que não ficou claro, no entanto, é se essa futura candidatura contaria com a participação do seu vice, Mourão.

“O casamento entre eu e Mourão é até 2022, no mínimo; até lá, vamos ter que dormir juntos”, afirmou.

Fã de metáforas, o presidente comentou ainda a rixa entre o vice-presidente e seu filho, o vereador Carlos Bolsonaro.

“Estamos dormindo juntinhos a noite toda”, afirmou. “Durante o dia, brigamos sobre quem lava a louça”, completou.

Ao posicionamento de Carlos à Mourão, Bolsonaro afirma que o filho está exercendo sua liberdade de expressão.

A rixa entre ambos tem afetado o humor do mercado e pode contar com mais alguns capítulos nesta sessão.

Veto de Bolsonaro a campanha de marketing do Banco do Brasil derruba diretor responsável

O Banco do Brasil tirou do ar sua campanha destinada ao público jovem, estrelada por um elenco negro e tatuado.

De acordo com o jornal O Globo, o veto do presidente Jair Bolsonaro culminou na retirada do material do ar.

Além disso, o diretor de comunicação e marketing da instituição financeira, Delano Valentim, caiu ante ao episódio.

Em nota, o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, se manifestou em nota a respeito do ocorrido.

“O presidente e eu concordamos que o filme deveria ser recolhido. A saída do diretor foi uma decisão de consenso, inclusive com aceitação do próprio”.

Em menos de um mês, este é o segundo episódio protagonizado por Bolsonaro ante a decisões corporativas.

No último dia 12, o presidente sugeriu que a Petrobras recuasse no reajuste do preço do diesel.

E-book: Guia Completo e Definitivo da Previdência Privada 

Ivan Monteiro renuncia a cargo na BRF; Chacon deixa diretoria de marketing do Itaú

Outras baixas significativas sucederam a queda do diretor de comunicação e marketing do Banco do Brasil.

O fato, no entanto, não está relacionado com a renúncia de Ivan Monteiro, nem com a saída de Fernando Chacon.

Segundo o Valor, a BRF informou que Ivan Monteiro renunciou ao cargo de vice-presidente financeiro e de relações com investidores.

A informação divulgada ao final da noite de ontem destaca ainda que o motivo da renúncia foi uma indicação médica.

É provável que a notícia impacte as ações da empresa. Quando sua contratação foi anunciada, o mercado reagiu positivamente.

Quem também está deixando o seu cargo é o diretor-executivo de marketing do Itaú Unibanco, Fernando Chacon.

A informação, inicialmente divulgada pelo “Meio & Mensagem”, foi confirmada pelo Valor Econômico com fonte próxima à instituição.

Amazon vê seu lucro líquido mais que dobrar no 1º trimestre do ano e totaliza US$ 3,5 bi 

No primeiro trimestre de 2019, a Amazon viu seu lucro líquido mais que dobrar ante ao mesmo período do ano anterior.

De acordo com a gigante de comércio eletrônico, o lucro bateu os US$ 3,56 bilhões ante a US$ 1,62 bilhão.

Ademais, a companhia divulgou sua expectativa para o próximo trimestre de 2019.

A expectativa é que suas vendas líquidas acumulem em torno de US$ 59,5 bilhões e US$ 63,5 bilhões.

Essa projeção equivale a um crescimento de 13% a 20% ante a maio, junho e julho de 2018.

Semelhantemente, a Amazon projeta no 2º trimestre um crescimento em seu lucro operacional (entre US$ 2,6 e US$ 3,6 bilhões).

Lucro da Intel e Grendene recuam 11% e 51%, respectivamente, no 1º trimestre de 2019

Seguindo a onda de balanços corporativos do primeiro trimestre deste ano, as duas companhias apresentaram um saldo negativo no lucro.

A multinacional Intel viu seu lucro líquido recuar 11% ante ao mesmo período de 2018, totalizando US$ 3,97 bilhões.

Para o próximo trimestre, a Intel projeta uma receita de US$ 15,6 bilhões e lucro por ação de US$ 0,83.

Em 2019, a empresa de tecnologia estimava uma receita de US$ 71,5 bilhões e lucro por ação de US$ 4,35.

Agora, no entanto, esses números foram – divulgados em janeiro – foram revisados para baixo.

De acordo com o documento publicado pela Intel, a nova projeção é de receita de US$ 69 bilhões e lucro por ação de US$ 4,14.

A fabricante de calçados Grendene, por sua vez, destacou um rendimento ainda menor neste primeiro trimestre do ano.

Seu lucro líquido ficou em R$ 76,5 milhões, ante aos R$ 156,1 milhões obtidos no mesmo trimestre de 2018.

Com isso, a companhia viu seu lucro recuar 51,0%.


Sobre o autor