AçõesHome

Com bom humor externo, Ibovespa dispara e renova a sua máxima histórica em 96 mil; dólar cai a R$3,73

Por Pablo Vinicius Souza
18 janeiro 2019 - 12:28
saldo positivo do Ibovespa

No compasso do rali global, que se instaurou frente à possibilidade de os Estados Unidos e China chegarem a um acordo finalizando a guerra comercial, o Ibovespa renovou mais uma vez a sua máxima histórica alcançando a marca de 96.395 pontos. As boas perspectivas no cenário político local, quanto à Reforma da Previdência e demais pautas, também impulsionaram o bom desempenho do índice principal da B3. Ás 12h18 (horário de Brasília), a Bolsa brasileira 0,82%, aos 96.134 pontos e um giro financeiro de R$3,515 bilhões.

Baixe o E-book O Guia Completo de Como Ter Sucesso Nas Operações de Day Trade

O dólar comercial operava em queda de 0,21%, sendo cotado a R$3,73, em um dia que oscilou próximo à estabilidade. O mercado de câmbio segue reagindo às ações da equipe econômica do governo, liderada por Paulo Guedes, que acompanhará o presidente, Jair Bolsonaro, no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. Os investidores ajustaram posições à espera da divulgação do Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) do segundo decênio de janeiro, que apresentou leve queda de 0,01%, ante a redução de 1,15% no mesmo período do ano passado.

Baixe o Infográfico: 5 motivos – Por Que Investir na Bolsa Agora É Um Bom Negócio

Os contratos de juros futuros seguiam em queda diante do otimismo no mercado externo e as boas expectativas para o cenário político local. O DI com vencimento para setembro/2019 caía 0,31%, sendo vendido a 6,45% (6,47% no ajuste anterior), o DI para junho/2021 tinha redução de 0,77%, sendo comercializado a 7,69% (7,76% no ajuste anterior) e o DI para junho/2024 diminuía 0,67%, sendo negociado a 8,88% (8,89% no ajuste anterior).

Relatório gratuito – Petrobras: O petróleo é nosso

As blue chips avançavam em território positivo, com a Eletrobras acentuando os ganhos da sessão, devido à sinalização da nova etapa do Plano de Demissão Consensual, que se iniciará dia 21 de janeiro. O objetivo dessa medida é gerar uma economia anual de aproximadamente R$574 milhões e a meta é desligar cerca de 2.187 funcionários. O prazo para adesão será de 30 dias e o plano será executado na holding e em todas as controladas incluindo Chesf, Eletronorte, Eletrosul e Furnas.

COMPANHIAS ESTATAIS
Petrobras (PETR3) +1,46% Vale (VALE3) +1,29%
Petrobras (PETR4) +0,83% Embraer (EMBR3) -0,93%
Eletrobras (ELET3) +4,91% Banco do Brasil (BBAS3) +0,41%
Eletrobras (ELET6) +4,51% Cemig (CMIG4) +0,50%

Relatório gratuito – Banco do Brasil: O gigante acordou

SETOR BANCÁRIO SETOR SIDERÚRGICO
Itaú Unibanco (ITUB3) +1,32% Usiminas (USIM3) +0,91%
Santander (SANB11) +1,65% CSN (CSNA3) +0,81%
Bradesco (BBDC3) +1,06% Gerdau (GGBR4) +1,53%

Sobre o autor