HomePolítica

Com 15 acordos assinados, Brasil e Índia reforçam relação comercial

Por Pablo Vinicius Souza
25 janeiro 2020 - 13:02

O aprofundamento da relação comercial entre Brasil e índia foi confirmada neste sábado pelo presidente Jair Bolsonaro, em Nova Déli. Assim, o plano de ação estratégica vai potencializar os negócios bilaterais entre dois países com 1,5 bilhão de pessoas.

Diversos acordos voltados para a área de infraestrutura, justiça, ciência e tecnologia, agricultura, exploração petrolífera, mineração, saúde, cultura e turismo foram assinados. Em sua página pessoal no Twitter, Bolsonaro ressaltou o interesse indiano no desenvolvimento de biocombustíveis por meio do etanol.

Entre os principais acordos celebrados na Hyderabad House, o palácio que o governo indiano usa para banquetes e encontros com visitantes estrangeiros, está a medida que visa facilitar e promover o investimento mútuo, incluindo certos mecanismos de diálogo, mitigação de riscos e prevenção de controvérsias, conforme informou o Valor Econômico.

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, falou de ”uma parceria estratégica que tem bases em ideologia parecida e valores parecidos”. Apesar da distância geográfica, ”estamos juntos de mãos dadas em muitos fóruns globais, e somos parceiros de desenvolvimento”, afirmou.

Também foi assinado o memorando de entendimento sobre cooperação para promover a produção e o uso de biocombustível (biodiesel, etanol, bioquerosene e biogás, assim como a bioenergia e coprodutos e subprodutos). Na mesma linha, querem investir em geologia e recursos minerais. Outro memorando prevê cooperação em medidas de primeira infância.

Para o setor agrícola, os países querem otimizar a relação comercial em pecuária e produção leiteira

Modi destacou o volume dos acordos celebrados em relação comercial, como também o potencial para aprofundamento em áreas como a defesa. Nesse sentido, as duas nações assinaram um acordo sobre assistência mútua em matéria penal, em especial no combate à corrupção.

Segundo o Valor, isso vai se estender para crimes de lavagem de dinheiro, tráfico ilícito de pessoas, drogas, armas de fogo, munição e explosivos, terrorismo, bem como seu financiamento. Modi acredita que os países emergentes podem, juntos, impulsionar também reformas no Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Um programa de intercâmbio cultural para 2020-2024 e outro de cooperação entre ciência e tecnologia entre 2020-2023 também foi anunciado. Em contrapartida, a isenção de visto para cidadãos indianos entrarem no Brasil não será apresentada durante esta visita de Bolsonaro. Apesar da pressão, a declaração final mencionará a implementação de mecanismos para facilitar a isenção de vistos para turistas e empresários, noticiou a Folha de S. Paulo.


Sobre o autor