EconomiaHome

China libera US$ 115 bilhões para bancos apoiarem a economia e mais indicadores globais

Por Bruna Santos
02 janeiro 2020 - 09:43
PIB da China

O primeiro dia útil de 2019 contará com uma série de dados econômicos globais relevantes, entre eles está a liberação do banco central da China de, aproximadamente, 800 bilhões de iuanes (US$ 115 bilhões) em fundos para dar suporte à economia em desaceleração. Além disso, a alíquota de depósito compulsório será reduzida em 50 pontos-base pelo Banco do Povo da China (PBOC, na sigla em inglês), a partir de 6 de janeiro.

A potência asiática projeta estabelecer uma meta de crescimento econômico menor, de cerca de 6%, em 2020. De acordo com a Reuters, fontes afirmam que essa expectativa conta com o aumento dos gastos em infraestrutura do Estado a fim de evitar uma desaceleração mais acentuada. Esse crescimento contraiu de 6,8% em 2017 para 6% no 3T19, o mais lento desde o início dos anos 1990.

No Brasil, saem os dados das vendas de veículos pela Fenabrave e do comércio varejista. A Secretaria de IndústriaComércio Exterior e Serviços do Ministério da Fazenda divulgam o resultado fechado da balança comercial 2019. Ademais, o mercado conhecerá ainda o índice de confiança do consumidorindicador do clima da economia e o IPC-S, pela FGV.

Nos Estados Unidos saem novos pedidos de seguro-desemprego e o índice IHS Markit. A projeção é de 225 mil pedidos, segundo a agência Dow Jones, superando a terceira semana de dezembro (222 mil). Na zona do euro o investidor vai monitorar o PMI Manufatura.

Leia mais sobre a China e outros destaques:

Corte de compulsório na China e mais notícias que vão impactar o 1º pregão do ano

Giro pelo mundo: ‘nova arma estratégica’ da Coreia do Norte e investidores estrangeiros


Sobre o autor