EmpresasHome

CESP (CESP6) – privatização da empresa

Por Levante Ideias de Investimentos
26 outubro 2018 - 15:24

No dia 19 foi concluída a privatização da CESP. O Governo do Estado de São Paulo finalmente conseguiu vender a sua participação de 35,6 por cento na empresa por 1,7 bilhão de reais. O consórcio vencedor é formado pelo grupo Votorantim Energia e o fundo de pensão canadense CPPIB e pagou 14,60 reais por ação da CESP, prêmio de 2,1 por cento em relação ao preço mínimo de 14,30 reais.

E Eu Com Isso?

A notícia é positiva para os acionistas da CESP, pois a empresa agora tem novo controlador com experiência no setor e que pode melhorar a gestão da companhia. As ações da CESP (CESP6) fecharam em forte alta de 16,1 por cento na sexta-feira (19) cotada a 17,65 reais.

A CESP tem capacidade de geração de energia elétrica de 1.627 megawatts (MW) de potência. O consórcio já possuía 564 MW de capacidade instalada. Dessa forma, a nova empresa terá 2,1 MW de capacidade instalada, o que a aproxima de grandes empresas em geração de energia como a AES Tietê.

O consórcio vencedor vai pagar 1,4 bilhão de reais à União em outorga para renovar a concessão da hidrelétrica Porto Primavera (o principal ativo da Cesp) por mais 20 anos.

A transação ainda precisa ser aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), fato que deve ocorrer sem problemas.

O consórcio vencedor também precisará lançar uma oferta pública de aquisição (OPA) para os demais acionistas da CESP. Para os acionistas minoritários, não será vantagem aderir à OPA, pois o preço atual das ações está acima do preço ofertado.

Adicionalmente, a nova gestão da CESP deverá gerar valor para os acionistas ao negociar os passivos e contingências judiciais e ao tornar a empresa mais eficiente em termos de custos operacionais.

Leia também:

CESP (CESP6) – Governo de São Paulo vai tentar vender a companhia de novo

 


Sobre o autor