Agronegócio

Brasil deve ter safra recorde em 2020, aponta IBGE

Por Bruna Santos
09 junho 2020 - 16:00 | Atualizado em 09 junho 2020 - 17:31

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) manteve a previsão de safra recorde para 2020. Apesar da revisão para baixo (-0,5%) em relação ao mês anterior, a expectativa do instituto é por uma safra de 245,9 milhões de toneladas.

Leia também: Plano Safra 2020/21 sai no dia 17, segundo ministra da Agricultura

O saldo projetado para os cereais, leguminosas e oleaginosas representa um avanço de 1,8% (4,4 milhões de toneladas) ante o resultado de 2019. Segundo o instituto, a área colhida nessa safra recorde deve chegar a 64,6 milhões de hectares, isto é, +2,1% frente a área do ano passado.

Ainda na comparação anual, o aumento equivale a 1,4 milhão de hectares. Em relação ao mês anterior, o crescimento foi de 96,2 mil hectares (0,1%). Nesse sentido, os três principais componentes da safra (soja, arroz e milho) somam 92,2% da estimativa da produção e 87,3% da área a ser colhida.

Cereais, leguminosas e oleaginosas na safra recorde

De acordo com o IBGE, a produção de soja deve superar o recorde de 2018 e chegar a 119,4 milhões de toneladas (+5,2% ante 2019).

Apesar disso, houve um decréscimo de 1,4% ante a estimativa anterior para a produção de soja, puxada pela produção no Rio Grande do Sul. A produção gaúcha está agora estimada em 11,2 milhões de toneladas, -16,1% do projetado em abril. Entre 2019 e 2020, o recuo será de 39,3%.

A produção de arroz, por sua vez, deve acumular 10,8 milhões de toneladas no acumulado do ano e ficar 5,3% acima da safra de 2019 “A Região Sul, que concentra cerca de 83,0% da produção nacional, apresentou um incremento de 2,6%, devido ao aumento de 2,4% na produtividade da cultura”, portanto, o resultado é esperado mesmo diante do declínio de 2,8% na área plantada, conforme a nota do IBGE.

Por fim, a produção de milho deve contrair 3,8%, apesar da safra recorde projetada para a agricultura brasileira em 2020, totalizando 96,7 milhões de toneladas.

As estimativas do IBGE indicam que a primeira safra de milho deve responder por 27,5% (26,6 milhões de toneladas) da safra nacional. Posteriormente, a segunda safra deve abocanhar 72,5% do total, com estimativa de 70,2 milhões de toneladas produzidas.

“Os maiores crescimentos nas estimativas de produção, em relação ao mês anterior, foram verificados no Mato Grosso (3,6% ou 1,1 milhão de toneladas)”, destacou o instituto.

Confira a análise do IBGE na íntegra.


Sobre o autor