HomePolítica

Bolsonaro defende ampliação da posse de armas

Por Bruna Santos
30 dezembro 2019 - 09:37
Estados e municípios, governo Bolsonaro

Em sua página pessoal no Twitter, o presidente Jair Bolsonaro voltou a pedir pela ampliação da posse e porte de armas no Brasil. Ao defender a medida e apelar ao Congresso Nacional pela aprovação no que está sendo chamado de um “tuíte chumbo-grosso”, o presidente da República relacionou o crescimento no registro de armas de fogo à diminuição do número de mortes.

Para tal, ele ressaltou que o registro de armas de fogo cresceu 50% no corrente ano, na comparação anual com 2018. Embora alguns ‘especialistas’ projetem que o número de mortes deveria aumentar no Brasil, Bolsonaro afirma que na prática o índice já contraiu 22%.

Por fim, ele ressaltou que depende do Parlamento “para ampliar o direito à posse/porte para mais cidadãos”. De acordo com o levantamento realizado pelo Valor Econômico, o Congresso aprovou 1 em cada 3 medidas da Economia em 2019.

Sobre o pacote de reformas proposto pelo governo federal, o ministro da Economia Paulo Guedes afirma confiar na aprovação junto ao Congresso. Segundo ele, os parlamentares têm mostrado um perfil alinhado às medidas defendidas pelo Poder Executivo.

Apesar disso, o governo chega ao fim de 2019 com dois terços das propostas enviadas por Guedes ao Legislativo rejeitadas ou ainda pendentes de aprovação. A Folha de S. Paulo apontou que Guedes e sua equipe enviaram 38 textos para apreciação, incluindo projetos de lei, PECs e medidas provisórias.

Do total, mostrou o levantamento, apenas 13 (34%) foram aprovados no ano. Como prioridades para o próximo ano, o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) citou, recentemente, as reformas tributária e administrativa, assim como o projeto de autonomia do Banco Central.

Leia mais:

Míssil pode desencadear tensões entre norte-coreanos e norte-americanos; confira destaques

Mercado vê inflação abaixo do centro da meta pelo 4º ano

IGP-M fecha 2019 com avanço de 7,30%

Governo recebe R$ 69,96 bilhões do leilão dos excedentes da cessão onerosa

Governo Central tem déficit primário de R$ 16,5 bi em novembro

Ibovespa recua com realização de lucros, mas fecha a semana em alta de 1,23%


Sobre o autor