HomeMercados

Bolsas, títulos oscilam à espera do payroll; minério despenca

Por TradersClub
05 julho 2019 - 09:19
Nossa agenda local de indicadores econômicos tem como destaque a divulgação da Pesquisa Mensal do Comércio de setembro do IBGE.

As bolsas europeias e os futuros dos índices acionários americanos recuavam nesta sexta-feira, enquanto os títulos de dívida soberana dos países mais ricos operavam em leve queda, à espera do relatório de criação de empregos privados nos Estados Unidos – que pode dar pistas sobre o rumo dos juros na maior economia do mundo.

O dólar se fortalecia e o petróleo recuava, em linha com algumas commodities minerais e metálicas, reduzindo os ganhos dos investidores em uma semana que teve menores volumes de negociação por conta do feriado do Dia da Independência de ontem nos EUA. Números da indústria alemã bem abaixo do consenso pioraram o sentimento na Europa, na contramão da Ásia, que majoritariamente teve um dia de altas. O rendimento do Treasury note de dez anos saiu das mínimas em quase três anos, enquanto o ouro declinava.

Os dados sobre o emprego privado não-agrícola nos EUA podem confirmar pu não a tendência de desaceleração econômica causada, em grande parte, pela escalada nas disputas comerciais com a China e outros países desenvolvidos ou parceiros. Caso venham fracos, os dados devem fornecer ainda mais base para as apostas de uma flexibilização da política monetária nos maiores bancos centrais, e se esse movimento será iminente nos EUA, disse um gestor sediado em Londres.

BOLSAS

Perto das 08h00, os futuros dos índices americanos Dow Jones Industrials e S&P500 caíam 0,11% e 0,15%, respectivamente, em linha com o recuo de 0,43% no índice pan-europeu Stoxx600, que reagiu mal aos números econômicos na Alemanha. O índice Xangai Composto fechou em alta de 0,20%. O índice VIX subia 5,80%, buscando recuperar a forte queda da semana, indicando maior cautela no pregão de hoje.

MOEDAS E JUROS

O dólar americano avança 0,17% ante pares globais, maior alta em quatro pregões, seguindo a mesma direção do rendimento dos Treasuries de dez anos, que sobem 1,5 ponto-base a 1,965%, à espera da divulgação do payroll. Um número abaixo do consenso de 160 mil vagas criadas para junho mostrará maior fraqueza da economia e deve aumentar as chances de um corte na taxa de juros básica do Federal Reserve ainda neste mês. O ouro recuava 0,35%, mas permanece perto do maior patamar em cinco anos.

COMMODITIES

O petróleo WTI recuava 0,73%, enquanto o petróleo Brent subia 0,57%, estendendo o recuo na semana por conta da maior apreensão com a demanda global. O minério de ferro despencou 5,8% na China, segunda queda seguida, após o maior lobby da indústria siderúrgica da China pedir um monitoramento maior do governo aos mercados de futuros e spot do mineral.


Sobre o autor