HomeMercados

Bolsas da Europa fecham em queda com dados fracos dos EUA e cautela com Brexit

Por Eloiza Amaral
02 outubro 2019 - 15:12
Bolsas da Europa fecham em alta com indicadores otimistas da China e da zona do euro

As Bolsas da Europa fecharam o pregão desta quarta feira (2), em queda. Os investidores voltaram a temer uma recessão econômica com base nos dados fracos de empregos do setor privado dos Estados Unidos e com cautela sobre o Brexit.

O índice pan-europeu Stoxx 600 registrou baixa de 2,70% a 377,52 pontos. O FTSE 100 de Londres foi a 7.122,54 pontos, com recuo de 3,23%. O alemão DAX 30 de Frankfurt marcou queda de 2,76%, com 11.925,25 pontos.

Na França, o CAC 40 de Paris, teve declínio de 3,12% a 5.422,77 pontos, e o FTSE Mib de Milão recuou 2,87% a 21.298,24 pontos. Em Madri, o índice espanhol IBEX 35 perdeu 2,77% terminando o dia com 8.912,20 pontos, enquanto o BEL 20 de Bruxelas perdeu 2,72% indo a 3.566,37 pontos. Por fim, o lisbonense PSI 20 apresentou declínio de 1,35% e 4.882,33 pontos.

A ADP (Automatic Data Processing) informou que foram criados apenas 135 mil empregos nos Estados Unidos em setembro, o que marca uma desaceleração em relação aos 157 mil empregos criados em agosto. O mercado esperava por 152 mil vagas.

“É difícil tirar conclusões de um único dado, e já vimos antes o ISM industrial cair abaixo dos 50 pontos e se recuperar. Mas desta vez parece diferente”, disse Subadra Rajappa, estrategista-chefe de renda fixa nos EUA do Société Générale, ao jornal Valor Econômico. Além disso, o mercado de renda fixa e a queda nos investimentos também apontam para uma piora.

A Organização Mundial do Comércio (OMC) autorizou os Estados Unidos a imporem tarifas sobre US$ 7,496 bilhões em produtos da Europa, pois a União Europeia não retirou os subsídios, considerados ilegais, concedidos para a companhia Airbus.

No Reino Unido, o primeiro ministro britânico, Boris Johnson, divulgou um plano alternativo em busca de um acordo com a União Europeia para o Brexit. O premiê propôs que haja uma zona regulatória de bens em toda a Irlanda.Para o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, a carta de Johnson traz avanços, mas também tem pontos considerados problemáticos.

A consultoria Pantheon acredita que as possibilidades de que o Brexit ocorra, de fato, em 31 de outubro, como o previsto, são próximas de zero.

Cidade Índice 01/10 02/10
Toda a Europa Stoxx 600 -1,31% -2,70%
Frankfurt DAX 30 -1,32% -2,76%
Londres FTSE 100 -0,65% -3,23%
Paris CAC 40 -1,41% -3,12%
Milão FTSE Mib -0,81% -2,87%
Madri IBEX 35 -0,85% -2,77%
Bruxelas BEL 20 -1,30% -2,72%
Lisboa PSI 20 -0,50% -1,35%


Sobre o autor