HomeMercados

Bolsas da Ásia fecham em queda com aumento nas tensões comerciais e dados da China

Por Pablo Vinicius Souza
09 maio 2019 - 08:06
Bolsas da Ásia fecham majoritariamente em baixa com Coreia do Sul e China; Tóquio avança

As Bolsas da Ásia encerraram o pregão desta quinta-feira (09) majoritariamente em queda, reagindo às tensões comerciais entre Estados Unidos e China e à divulgação de indicadores econômicos modestos no gigante asiático.

Uma delegação de representantes chineses embarca hoje para Washington para iniciar uma nova rodada de negociações sobre o acordo comercial. Mesmo assim, no último final de semana, Donald Trump ameaçou sobretaxar US$200 bilhões em produtos importados da China a partir da próxima sexta-feira.

Em pronunciamento, o Ministério do Comércio chinês informou que se os americanos cumprirem a ameaça, haverá retaliação, já que o governo da China está trabalhando para concluir os termos do acordo. Depois disso, o mau humor foi geral e os índices chegaram a renovar as mínimas da sessão.

Índices chineses

Na agenda de indicadores, a China registrou queda no volume de novos empréstimos, somando 1,02 trilhão de yuans (US$150,3 bilhões) no mês de abril. O montante ficou ligeiramente abaixo da previsão de 1,20 trilhão de yuans previstos pelo mercado.

Já o índice de preços ao consumidor subiu 2,5% em abril na comparação de base anual, ficando no patamar das projeções, e o índice de preços ao produtor aumentou 0,9% em relação ao mesmo período do ano passado. A meta do governo chinês é manter os níveis de inflação abaixo de 3% durante o ano de 2019.

Com isso, os índices chineses recuaram no final das negociações. Em Xangai, o Xangai Composto desvalorizou 1,48%, aos 2.850 pontos e em Shenzhen, o SZSE Component declinou 1,39%, aos 8.877 pontos.

Demais Bolsas Asiáticas

Em Tóquio, o Nikkei 225 desvalorizou 0,93%, aos 21.402 pontos, concluindo a terceira queda consecutiva desde a volta do feriado. Diante do clima de aversão ao risco no exterior, o iene se fortaleceu e pressionou as ações das empresas que atuam na exportação.

A Bolsa de Hong Kong registrou perdas expressivas devido às tensões sino-americanas. O Hang Seng teve redução de 2,39%, aos 28.311 pontos, com o setor financeiro liderando as baixas do dia. A seguradora Ping An perdeu cerca de 3%, Cassinos Macau declinou 4% e Geely Auto recuou 6%.

O sul-coreano Kospi desabou 3,04%, aos 2.102 pontos, fechando na mínima do dia. Sua principal blue chip Samsung Electronics recuou 4,1% e a fabricante de microchips Hynix caiu 5,35%. Os setores de tecnologia e construção lideraram o ranking negativo do índice geral.

Mercados da Oceania

Destoando completamente dos pares asiáticos, os mercados da Oceania serviram como um porto seguro para os investidores, e por isso, avançaram na sessão.

O S&P ASX 200, de Sidney, subiu 0,42% aos 6.295 pontos, impulsionado pelos setores de energia (+1,3%) e telecomunicações (+2,1%) e o NZX 50, de Wellington, apreciou 0,41%, aos 10.104 pontos, com os setores alimentício e de serviços.

      Cidade Índice 08/05 09/05
Sidney S&P ASX 200 -0,42% +0,42%
Wellington NZX 50 +0,36% +0,41%
Hong Kong Hang Seng -1,23% -2,39%
Seul Kospi -0,41% -3,04%
Tóquio Nikkei 225 -1,46% -0,93%
Mumbai Nifty 50 -1,25% -0,49%
Jacarta IDX Composite -0,43% -1,14%
Xangai Xangai Composto -1,12% -1,48%
Shenzhen SZSE Component -0,96% -1,39%


Sobre o autor