Mercados

Bolsa e dólar avançam com recuperação das commodities e sinal verde da china

Por Fast Trade
16 maio 2022 - 14:04 | Atualizado em 16 maio 2022 - 15:33
ações exponenciais
Créditos: GettyImages

A Bolsa brasileira iniciou a semana em alta, impulsionada pela recuperação das commodities e pelas sinalizações positivas vindas da China. Enquanto os mercados internacionais oscilam entre perdas e ganhos, o índice geral ganhou força com o desempenho das blue chips.

No radar, os contratos futuros de minério de ferro subiam mais de 3% após o governo chinês divulgar que pretende reduzir parte dos estímulos econômicos em vigor. No entanto, o grande catalisador do movimento positivo era a notícia sobre o relaxamento das medidas de restrição.

Isto porque, o país asiático deu sinal verde para o controle do ritmo de infecções por Covid-19. Desse modo, os investidores esperam que as atividades sejam retomadas nas regiões afetadas.

Ao mesmo tempo, os preços do petróleo avançavam em sintonia com a evolução das negociações na União Europeia pela suspensão integral da importação da commodity produzida na Rússia. Os temores de uma recessão econômica global também contribuíam com o clima de aversão ao risco.

+ Participantes do mercado: Saiba como identificá-los!

Outro fator de peso foi a decisão dos países Finlândia e Suécia em solicitar o ingresso na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Nesse sentido, o presidente russo, Vladimir Putin, afirmou que haverá retaliações caso seus vizinhos de fronteira deem sequência ao processo.

A seguir, as principais movimentações na B3:

Top 5 máximas do índice geral: Eneva (ENEV3), Méliuz (CASH3), Banco Inter (BIDI11), SLC Agrícola (SLCE3) e JHSF (JHSF3).

Top 5 mínimas do índice geral: Minerva (BEEF3), Cosan (CSAN3), Totvs (TOTS3), Hapvida (HAPV3) e Locaweb (LWSA3).

Às 14h03 (horário de Brasília), o Ibovespa subia 1,29% aos 108.301 pontos, registrando um volume financeiro de R$ 9,735 bilhões.

Dólar assume viés positivo em dia de cautela no exterior

O dólar comercial subia 0,69% contra o real, na cotação de R$ 5,0910 na venda, refletindo o sentimento de cautela no exterior. Com foco nas perspectivas de desaceleração da economia global, a divisa americana avançava contra as principais moedas emergentes.

Apesar de sinalizar que conseguiu controlar o surto de contágio em seu território, a China teve como consequências da política de “Covid zero” uma expressiva desaceleração em sua atividade. Em abril, a produção industrial do país recuou 2,9% em comparação ao mesmo período de 2021. Assim, as vendas no varejo também declinaram.

+ Guia do Investidor Iniciante: Baixe agora!

Da mesma forma, o consumo local caiu 11,1% no mês e a taxa de desemprego cresceu para 6,1%. Com efeito, a sessão de hoje é de busca por proteção no câmbio, com aumento na demanda pela moeda dos EUA e redução da exposição a ativos mais voláteis.

Quer ficar informado de todas as novidades sobre o mercado financeiro? Então participe gratuitamente do Canal do Fast Trade no Telegram!

Bolsa e dólar avançam com recuperação das commodities e sinal verde da china

Leia também:

Lucro ajustado da Raízen declina 48% no 4º tri do ano-safra para R$ 209,7 milhões

1T22: Cyrela reporta lucro líquido com queda 15,9%; analistas recomendam as ações

IPC-S avança 0,41% na segunda leitura de maio; índice mostra desaceleração da inflação


Sobre o autor