Mercados

Bolsa brasileira opera em alta desviando da tônica internacional; dólar cai

Por Fast Trade
03 março 2022 - 14:08 | Atualizado em 03 março 2022 - 15:16
Créditos: shutterstock.com

A Bolsa brasileira opera em alta nesta quinta-feira (3), desviando da tônica internacional negativa, que refletia as tensões entre a Rússia e a Ucrânia. Impulsionado pela valorização das commodities metálicas, o índice geral se mantinha em território positivo, seguindo o desempenho de algumas blue chips.

Lá foram, os preços do minério de ferro chegaram a superar o patamar de US$ 150 por tonelada no mercado à vista, graças às perspectivas otimistas quanto à produção de aço na China. Além disso, os contratos futuros do petróleo Brent também seguiam em forte valorização, negociando no patamar de US$ 115 o barril.

Ao mesmo tempo, ganhou destaque a segunda rodada de conversas sobre um cessar-fogo na Ucrânia, apesar de as tropas russas continuarem avançando rumo à capital Kiev. Da mesma forma, a notícia sobre a exclusão dos bancos de Belarus do sistema internacional de pagamentos Swift também pesava.

+ Guia do Investidor Iniciante: Baixe agora!

Enquanto isso, nos EUA, repercutiam as falas do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, sobre o aumento dos juros do país. Na véspera, ele disse ser apropriado elevar a taxa em 0,25% na reunião de março, para conter a disparada dos níveis de inflação.

Como resultado, as principais Bolsas de Nova York registravam queda, já antecipando os impactos da mudança da política monetária e das consequências das tensões geopolíticas.

A seguir, as principais movimentações na B3:

Top 5 máximas do índice geral: IRB Brasil (IRBR3), Gerdau (GGBR4), Petz (PETZ3), Gerdau Metalúrgica (GOAU4) e Usiminas (USIM5).

Top 5 mínimas do índice geral: Energisa (ENGI11), Alpargatas (ALPA4), Embraer (EMBR3), Ambev (ABEV3) e Suzano (SUZB3).

Às 14h00 (horário de Brasília), o Ibovespa subia 0,33% aos 115.561 pontos, registrando um volume financeiro de R$ 12,735 bilhões.

Dólar tem sessão de queda de olho no comportamento das commodities

O dólar comercial recuava 0,92% contra o real, na cotação de R$ 5,0520 na venda, de olho no comportamento de forte valorização das commodities. Isto porque, os mercados estão avaliando as consequências da guerra na Ucrânia, após o oitavo dia de conflitos armados.

Em meio às sanções econômicas, o governo russo interrompeu o fornecimento de diversos itens, como petróleo, trigo, fertilizantes, dentre outros, e este fato tende a elevar as cotações de um modo geral.

+ Guia de A a Z de como se tornar um trader

Por fim, os contratos de juros futuros registravam aumento nas taxas em todos os períodos, reagindo à política monetária dos Bancos Centrais. Assim, tanto o Federal Reserve quanto o Banco Central Europeu anunciaram a realização de um aperto nas taxas de juros, com o objetivo de enfrentar o atual momento.

Quer ficar informado de todas as novidades sobre o mercado financeiro? Então participe do Canal do Fast Trade no Telegram acessando o link: https://t.me/plataformafasttrade

Bolsa brasileira opera em alta desviando da tônica internacional; dólar cai

Leia também:

Embraer: suspensão de serviços para clientes e extensão do programa Pool

Defasagem do preço da gasolina chega a 24%; direção da Petrobras traça nova estratégia

Radar do Trader: negociações em Belarus, inflação do petróleo e discurso de Powell


Sobre o autor