Economia

Benefício emergencial de R$ 600 é sancionado; programa para salvar empregos e indicadores

Por Bruna Santos
02 abril 2020 - 08:16 | Atualizado em 02 abril 2020 - 08:16

O benefício emergencial de R$ 600 aprovado pela Câmara dos Deputados e pelo Senado foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Além disso, o governo federal anunciou um programa de preservação de empregos que permite redução salarial e jornada de até 70%.

Assim como para o auxílio emergencial, a medida deve valer por um período de três meses.

De acordo com o ministro da Economia, Paulo Guedes, o impacto fiscal da medida será de R$ 51,2 bilhões.

A equipe econômica do governo estima que 24,5 milhões de trabalhadores com carteira assinada receberão o benefício emergencial para manutenção do emprego e que 8,5 milhões de postos de trabalho serão salvos a partir do programa.

Entre os indicadores econômicos locais, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), medidor da inflação na cidade de São Paulo, subiu 0,10% em março, a mesma variação registrada na terceira quadrissemana do mês passado, conforme os dados publicados hoje pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Ademais, o IPC-Fipe acumulou inflação de 0,50% no primeiro trimestre e, nos 12 meses até março, o índice cresceu 3,22%.

A produção industrial brasileira avançou 0,5% em fevereiro, segundo o IBGE, embora os dados captados ainda não mostrem os efeitos da crise provocada pelo Covid-19.

Na Europa, os preços ao produtor (PPI) da zona do euro caíram 0,6% em fevereiro ante janeiro, segundo a Eurostat.

Nos Estados Unidos, o investidor acompanha de perto a pela publicação da pesquisa de pedidos de auxílio-desemprego.

Amanhã, inclusive, o Departamento de Trabalho dos EUA publica o payroll de março em meio aos impactos do coronavírus.

Vale destacar o Relatório Nacional de Emprego feito pela ADP e pela Moody’s Analytics, considerado prévia do relatório de empregos oficial dos EUA, que indicou redução de 27 mil postos de trabalho no setor privado não-agrícola entre fevereiro e março.


Sobre o autor