EconomiaHome

Banco Mundial reduz previsão de crescimento global em 2020 por comércio e investimento

Por Bruna Santos
09 janeiro 2020 - 10:35
Powell volta a falar no Congresso; varejo pode mover os DIS e outros dados econômicos; Monitor do PIB

Uma recuperação mais lenta que o esperado no comércio bem como no investimento foi decisiva na redução das previsões de crescimento econômico global para o biênio 2019-20, segundo informou na véspera o Banco Mundial.

Mesmo que as tensões comerciais de Washington e Pequim estejam mais brandas, a instituição multilateral de desenvolvimento afirmou que o ano de 2019 foi marcante no que quesito “expansão econômica mais fraca desde a crise financeira global de uma década atrás”.

Desse modo, embora haja expectativa de melhora, 2020 permanece vulnerável às incertezas sobre o comércio e sobre as tensões geopolíticas.

Em recente relatório denominado Perspectivas para a Economia Global, o banco reduziu em 0,2 ponto percentual as estimativas de crescimento econômico para o biênio.

Assim sendo, a previsão de expansão para 2019 era de 2,4%, ao passo que em 2020 era de 2,5%.

Para a referência em previsões econômicas do Banco Mundial, Ayhan Kose, esse aumento na perspectiva deve ser considerado como modesto.

Além disso, segundo ele, o avanço marca o fim da desaceleração iniciada em 2018 e que afetou drasticamente não apenas a atividade, mas também o comércio e os investimentos globais, especialmente em 2019.

De acordo com a Reuters, essas estimativas do Banco Mundial consideram a “fase 1” do acordo comercial entre EUA-China.

Embora a redução da tarifa tenha um efeito “singelo” sobre o comércio, espera-se que o acordo aumente a confiança empresarial e as perspectivas de investimento.

Isso, afirmou Kose, contribuiria para uma recuperação no crescimento do comércio.

Por fim, estima-se que o crescimento do comércio global melhore mais um pouco em 2020 para 1,9%, ante 1,4% (2019).

Conforme informações do Banco Mundial, o crescimento de 2019 é o mais baixo desde a crise financeira de 2008-2009.


Sobre o autor