Empresas

Banco Inter (BIDI11) tem prejuízo de R$ 8,4 milhões no primeiro trimestre

Por Bruna Santos
20 maio 2020 - 09:13 | Atualizado em 20 maio 2020 - 09:15

Banco Inter (BIDI11) reportou um prejuízo líquido contábil de R$ 8,4 milhões no primeiro trimestre de 2020, resultado fortemente impactado pela variação da marcação a mercado de títulos e valores mobiliários mantidos em tesouraria. Esse saldo reverte o lucro apurado nos primeiros três meses de 2019, de R$ 12 milhões.

De acordo com o press release enviado pela instituição financeira, o resultado ajustado ficou em R$ 11 milhões. Seu patrimônio líquido totalizou R$ 2,1 bilhões, o que representa uma variação de 126% ante ao mesmo trimestre de 2019.

Além disso, o Índice de Basileia chegou a 28,6% no 1T20, com aumento de 2,8 ponto percentual na base de comparação anual. Em contrapartida, o mesmo índice chegou a anotar queda de 10,8 percentuais na comparação com o último trimestre de 2019.

Segundo a plataforma digital de serviços financeiros e não financeiros, o resultado bruto da intermediação financeira, antes da PDD (Provisão para Devedores Duvidosos), atingiu R$ 140 milhões (+18,8% A/A). Por fim, o volume em depósitos à vista da instituição atingiu R$ 2,6 bilhões, um forte crescimento de 205%.

Mais resultados trimestrais:

Variação cambial faz Marfrig (MRFG3) reverter lucro e reportar prejuízo líquido no 1T20

Petrobras (PETR3/PETR4) amarga prejuízo de R$ 48,52 bilhões no 1T20

Via Varejo (VVAR3) reverte prejuízo e lucra pela primeira vez desde 2018

Lucro da Trisul (TRIS3) avança 17% no 1º trimestre

Lucro líquido da Itaúsa (ITSA4) recua 59% no 1T20

BRFS3: Balanço da BRF surpreende com melhora operacional e desalavancagem, apesar de prejuízo

BRF (BRFS3) reduz prejuízo na comparação anual do primeiro trimestre

Lucro da Ambev (ABEV3) desaba 55,9% devido a um EBITDA menor e despesas financeiras maiores

Banco do Brasil contabiliza lucro líquido ajustado de R$ 3,4 bi no 1T20

TIM cresce em lucro e receita, mas Covid-19 impacta resultado trimestral

Lucro do Itaú desaba 43% no primeiro trimestre


Sobre o autor