EmpresasHome

Azul vai reduzir 90% dos voos para enfrentar impactos da pandemia

Por Pablo Vinicius Souza
24 março 2020 - 18:35

Como medida emergencial, a Azul (AZUL4) determinou a redução de 90% de sua capacidade operacional, para enfrentar os impactos do avanço do coronavírus.

A companhia manterá apenas 70 voos diários para 25 destinos no país, além de promover o corte de 65% nos custos e despesas com folha de pagamento durante o mês de abril.

A reestruturação foi possível graças à adesão de mais de 7.000 tripulantes ao programa de licença não-remunerada, correspondendo a pouco mais de 50% da força de trabalho da empresa.

Além disso, houve uma redução de 50% dos salários dos membros do comitê executivo e de 25% para gerentes, e ainda, há a possibilidade de contratar uma nova linha de crédito junto às instituições financeiras.

As medidas foram drásticas porque, segundo o presidente da Azul, John Rodgerson, nos próximos três meses, o cenário vai piorar ainda mais no setor aéreo.

“A situação é uma catástrofe econômica para todas as empresas aéreas no mundo. Acho que os próximos dois meses serão piores. Mas estamos trabalhando duro para superar esse período difícil” – disse o executivo.

Rodgerson ressaltou que os investimentos não prioritários também serão suspensos e haverá ampla renegociação das condições de pagamento para os parceiros da companhia.

“Estamos fazendo todos os esforços para preservar o nosso caixa e estou confiante de que vamos superar essa fase e sair fortalecidos dessa crise” – destacou.

No pregão de hoje, as ações da Azul (AZUL4) subiram 13,24%, fechando na cotação de R$16,17.


Sobre o autor