Empresas

Azul (AZUL4) amarga prejuízo líquido de R$ 2,6 bilhões no primeiro trimestre

Por Fast Trade
07 maio 2021 - 07:00 | Atualizado em 07 maio 2021 - 07:31
Azul (AZUL4)

A Azul (AZUL4) encerrou o primeiro trimestre de 2021 com um prejuízo líquido de R$ 2,65 bilhões. Embora negativo, o resultado corresponde a um valor 56,8% menor do que os R$ 6,13 bilhões (também de prejuízo) apurados no 1T20.

De acordo com o relatório financeiro da empresa, 5,25 milhões de passageiros pagantes foram transportados nos três primeiros do ano corrente.

A cifra representa um recuo de 20,2% ante o mesmo período do ano passado, quando o mercado doméstico ainda não sofria com a pandemia.

+ Calendário do Trader 2021

Do mesmo modo, a receita operacional líquida recuou 34,9% na passagem do 1T20 para o 1T21, somando R$ 1,8 bilhão.

Nesse sentido, a companhia aérea destacou a redução de 23,0% na capacidade e 15,4% no RASK, resultados relacionados com a pandemia do coronavírus.

Em contrapartida, a receita de passageiros avançou 4,5% na comparação trimestral, indicando a continuidade da recuperação da demanda, sobretudo no começo do trimestre.

Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado contraiu 80,2%, para R$ 129,7 milhões.

Conforme divulgou a Azul, suas despesas operacionais totais anotaram um decréscimo de 22,4% ou R$589,2 milhões entre o 1T20 e o 1T21.

Segundo a área, o resultado foi impactado, acima de tudo, pela redução de capacidade e iniciativas de redução de custos.

Liquidez imediata da Azul

Na sequência dos destaques financeiros e operacionais, a Azul sinalizou ter encerrado o primeiro trimestre com R$ 3,3 bilhões de liquidez imediata.

A aérea informou que a cifra corresponde a 69% da receita dos últimos doze meses, incluindo caixa, investimentos e recebíveis de curto prazo.

Por outro lado, a dívida total da Azul cresceu 11% entre o 4T20 para o 1T21, totalizando R$19,4 bilhões. Assim também, a dívida líquida encerrou o trimestre em R$ 14,97 bilhões, ou seja, um recuo de 11,5% na base anual.

Além disso, os investimentos totais da Azul no primeiro trimestre do ano corrente chegaram a R$217,9 milhões.

Por fim, as ações da Azul (AZUL4) fecharam o pregão da véspera (6), data em que divulgou o prejuízo bilionário decorrente dos impactos da pandemia, em queda de 1,65%.

Quer ficar informado de todas as novidades do mercado financeiro? Então participe do Canal do Fast Trade no Telegram acessando o link: https://t.me/plataformafasttrade.


Sobre o autor