EmpresasHome

Após divulgar lucro de R$26,9 milhões no 4º tri, Marfrig pode abrir capital nos EUA

Por Pablo Vinicius Souza
20 fevereiro 2020 - 19:06

A Marfrig (MRFG3) divulgou os resultados do quarto trimestre, evidenciando um lucro líquido de R$26,9 milhões, após reverter o prejuízo de R$1,25 bilhão apurados no mesmo período do ano passado.

De outubro a dezembro, a receita líquida da companhia alcançou o total de R$14,2 bilhões, apresentando um crescimento de 23,5%.

O Ebitda (lucro antes dos juros, depreciação, amortização e exaustão) atingiu R$1,6 bilhão no período, avançando cerca de 8,6% em comparação a 2018.

Ao longo de 2019, a divisão de negócios na América do Norte passou por uma forte expansão e a região fechou o exercício contribuindo com 61% da receita total da empresa.

Nos Estados Unidos, onde possui três frigoríficos, se concentrou a maior rentabilidade, enquanto o Brasil respondeu por apenas 10% e a China retornou cerca de 14%.

Segundo o principal acionista e presidente do conselho de administração da Marfrig, Marcos Molina, a empresa pretende estar pronta para abrir seu capital nos EUA, o seu maior mercado.

Embora o executivo não tenha determinado prazos para que isso aconteça, ele citou algumas vantagens de listar as ações na maior economia do mundo, como os incentivos à recompra de ações e o custo de capital mais baixo.

A companhia brasileira controla a National Beef, o quarto maior frigorífico de carne bovina nos EUA, que representou 70% da receita líquida registrada em 2019, somando R$50 bilhões.

Molina também ressaltou que o mercado americano avalia melhor as empresas, agregando múltiplos (relação entre valor empresarial e Ebitda) mais altos, por isso, a Marfrig precisa se preparar.

Na avaliação do Bradesco BBI, a rede de frigoríficos vem apresentando potencial de expansão, sobretudo em relação à habilitação de suas unidades produtivas para exportar carnes para a China.

Por isso, os analistas seguem com a recomendação de compra para as ações, elevando o preço-alvo de R$12 para R$14, considerando os resultados mais fortes e a redução dos níveis de alavancagem.


Sobre o autor