Agronegócio

Agronegócio exporta US$ 10 bilhões em abril; compras da China apoiam o recorde

Por Bruna Santos
15 maio 2020 - 16:00 | Atualizado em 15 maio 2020 - 17:52
balança comercial brasileira; exportação

Um levantamento do Ministério da Agricultura revelou que o agronegócio brasileiro exportou US$ 10,22 bilhões em abril, valor recorde para o mês desde 2013. No período, o segmento havia vendido US$ 9,65 bilhões) para o exterior.

Quando comparado ao mesmo período de 2019, o avanço corresponde a 25%. Naquela época, o agronegócio do Brasil negociou US$ 8,18 bilhões.

De acordo com o ministério, o recorde foi diretamente impactado pelo incremento das vendas de soja em grão, que cresceram 73,4% na comparação anual. As 16,3 milhões de tonelada da oleaginosa corroboram para um expressivo faturamento de US$ 5,46 bilhões, recorde da exportação da soja.

A China, principal mercado importador do produto brasileiro, chegou a adquirir o equivalente a 11,79 milhões de toneladas (72,3%). Além disso, a exportação do agronegócio brasileiro pode se beneficiar ainda mais, conforme as relações entre Estados Unidos e China permanecem estremecidas. Essa, inclusive, não é a primeira vez que o segmento do Brasil se beneficiou dos desafetos sino-americanos.

Leia também: Milho e soja: produtos agrícolas chamam a atenção por exportação e guerra comercial

Nesse sentido, o agronegócio impactou as exportações brasileiras no mês estudado em 55,8%, patamar recorde, segundo informou o ministério. O salto da participação no mês de 2019 (42,2%) para 2020 também se apoia no contexto de crise internacional da Covid-19.

Em nota, a pasta explicou que “houve forte crescimento da demanda por soja brasileira, com antecipação das exportações do produto”.

Em contrapartida, as importações do agronegócio passaram de US$ 1,21 bilhão (abril/2019) para US$ 1,01 bilhão (abril/2020), isto é, -16,7%. Com o recorde de abril, o quadrimestre de 2020 acumula US$ 31,40 bilhões em exportações, alta de 5,9% na comparação anual.

Soja e carne bovina, os destaques de abril do agronegócio

Das 33,66 toneladas (US$ 11,50 bilhões) exportadas no quadrimestre, a China adquiriu 73,4% do grão brasileiro (+26,6% ante abril de 2019).

Do mesmo modo, a potência asiática foi responsável por quase metade das exportações brasileiras da carne bovina que, no quadrimestre, vendeu o recorde histórico de US$ 2,13 bilhões, equivalente a 469,76 mil toneladas. Assim sendo, a China importou 49,6% da carne e se tornou o maior contribuinte para o crescimento de 26,5% em relação a 2019.

Leia também: Depois da soja, Brasil mostra boas vendas de carne bovina para a China


Sobre o autor