EconomiaHome

‘A situação é uma economia na UTI’, afirma Contas Abertas sobre contingenciamentos

Por Pablo Vinicius Souza
20 maio 2019 - 10:23

Responsável pelo levantamento dos projetos atingidos pelo contingenciamento e fundador da Associação Contas Abertas, Gil Castello Branco, comentou as medidas do governo.

Embora os cortes na educação tenham desencadeado uma série de protestos, Castello Branco afirma: é só “a ponta do iceberg”.

“Se há alguns anos o governo cortava gordura […] agora é corte no osso mesmo”, afirmou.

De acordo com a publicação do Estado, Castello Branco disse ainda que os contingenciamentos possuem efeitos colaterais gravíssimos.

“A situação é uma economia na UTI, e está sendo aplicada uma medicação com fortes efeitos colaterais”, disse ele.

“Acho que o governo quer escancarar a crise fiscal e mostrar que a reforma da Previdência é inevitável”, afirmou.

Foto divulgação: Wenderson Araujo I ISTOÉ

Leia mais:

Saiba quais são os principais compromissos econômicos globais para esta segunda-feira

Reforma da Previdência: relator busca medidas para simplificar regras de transição

Reforma tributária: projeto pode unificar impostos federais

Flávio Bolsonaro: Justiça amplia quebra de sigilo fiscal e determina acesso a notas fiscais

‘Escolhido por Deus’ para comandar ‘um País ingovernável’, endossa Jair Bolsonaro

Resultado corporativo: Springs reverte prejuízo e obtém lucro líquido de R$ 159 milhões

Resultado corporativo: câmbio e venda da Fibria impactam balanço da Votorantim


Sobre o autor