Blog

Investidor Arrojado

Você sabe o que são derivativos e para que servem? Confira!

Por Fast Trade
29 outubro 2018 - 16:58 | Atualizado em 20 novembro 2020 - 11:06
O dia promete ser movimentado com investidores

É provável que, caso você seja um leitor ativo ou acompanhe os telejornais, já tenha visto ou escutado notícias a respeito da cotação dos chamados contratos futuros de moedas, como o dólar, ou de commodities, como o petróleo, não é verdade?

Você sabe o que isso significa? Resumindo em uma palavra: derivativos. Para os investidores que estão começando no mercado financeiro, eles ainda são um grande mistério, e é exatamente por isso que preparamos este artigo. Continue a leitura e esclareça suas dúvidas sobre o assunto!

O que são derivativos?

Basicamente, os derivativos são instrumentos financeiros cujo valor final de mercado deriva, total ou parcialmente, do valor de algum outro ativo de qualquer natureza.

Vamos tomar o mercado futuro de petróleo como exemplo. Ele é uma modalidade de derivativo, já que seu preço é dependente dos negócios realizados no mercado à vista do mesmo ativo.

Da mesma forma, existem negociações de contratos futuros de commodities, como café e soja, moedas, como o dólar, ouro e até mesmo juros ou ações.

Quais são as operações derivativas mais comuns?

Atualmente, embora existam outras, o mercado de derivativos costuma ser classificado, principalmente, em três opções: operações de mercado a termo, mercado futuro e opções. Confira.

Mercado a termo

O mercado a termo é a mais simplista das três opções. Essa operação consiste no compromisso de compra ou venda em uma determinada data futura e a um preço já previamente estabelecido.

Para exemplificar, imagine que você decidiu adquirir um contrato a termo de alguma ação que vale, na data da compra, R$ 10,00 no mercado à vista, por um período de um mês. No momento da compra, você e a segunda parte fecham o negócio dessa ação a termo, que será definida pelo preço de R$ 10,00 + taxa de juros entre o dia da compra e o dia do vencimento.

Portanto, caso a ação valorize e passe a custar R$ 15,00 entre o dia do fechamento do termo e o dia do encerramento, você conseguirá um lucro significativo, pois pagará o valor combinado no dia de abertura (R$ 10,00 + taxa) e não no dia de encerramento da operação: vai pagar menos por uma ação que vale mais.

Mercado futuro

No caso do mercado futuro, você pode adquirir contratos ou minicontratos de compra ou venda de algum investimento a determinado valor e data.

O mercado futuro proporciona uma certa liquidez a quem investe, já que você pode vender o contrato adquirido para outro investidor antes da data de vencimento.

Outro detalhe que diferencia o mercado futuro do mercado a termo é que os contratos futuros sofrem alterações diárias, ou seja, você realizará os lucros ou perdas do investimento diariamente, durante todo o período de vigência do contrato.

Mercado de opções

Já no mercado de opções, você adquire o direito de comprar ou vender um determinado ativo de qualquer natureza, como ações ou commodities, a um certo preço em uma data futura. Todas essas variáveis são estabelecidas previamente no momento da compra.

Para exemplificar: imagine que o preço da saca de soja seja R$ 60,00 e você cogite investir nesse mercado, mas está com pouco dinheiro no momento. Porém, você sabe que daqui a dois meses terá o capital disponível e acredita que haverá uma valorização da soja nesse período.

É aí que entra o mercado de opções. Caso você adquira o direito de exercer a compra da saca para daqui dois meses e ela se valorize, você poderá lucrar com a operação. Caso a cotação abaixe, você não exercerá o seu direito de compra e realizará o prejuízo da contratação do direito de compra.

Para que servem os derivativos?

Os derivativos exercem duas funções no mercado: fornecer proteção contra a variação no preço de um determinado ativo ou, simplesmente, funcionar como alavancagem com obtenção de lucros.

Assim como o mercado de ações, os derivativos podem funcionar perfeitamente como forma de aumentar o seu retorno. Por isso, pesquise e veja se essa modalidade de investimento se adequa ao seu perfil de investidor antes de investir nela.

Gostou do nosso artigo sobre derivativos? Então, assine agora a nossa newsletter e não perca nenhum conteúdo do nosso portal!




Sobre o autor